Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
Caracterização de sementes de populações segregantes de melancia cultivadas em sistema agroecológico de produção
Nétally Nicole Moura Casé, Izaias da Silva Lima Neto, Mariana Neto Rosa Lima, Wellington Soares de Oliveira, Layslene Leal de Carvalho, Milenna Silva Guirra, Eliene Sanilde de Jesus Gomes, Murilo Barbosa Moreira

Última alteração: 2019-11-11

Resumo


A melancia (Citrullus lanatus) está entre as principais espécies produzidas no Brasil, principalmente em sistema convencional. Todavia, devido a uma maior conscientização da sociedade sobre a qualidade dos alimentos, tem crescido o mercado de hortaliças orgânicas. Tem se buscado também melhorar a qualidade organoléptica dos frutos de melancia. Como a dispersão de sementes na polpa pode influenciar na atratividade e qualidade dos frutos, objetivou-se com este trabalho caracterizar as sementes de populações segregantes de melancia e selecionar progênies que produzam sementes com coloração, tamanho e quantidades mais atrativos e favoráveis aos consumidores. O experimento foi conduzido no Setor de Olericultura/Agroecologia, situado no Campus Ciências Agrárias da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), entre setembro de 2018 e março de 2019, em ambiente protegido e campo, e manejado de forma agroecológica. Foram avaliadas cinco populações e quatro cultivares comerciais como testemunhas (‘Crimson Sweet’, ‘Charleston Gray’, ‘Pérola” e ‘Sugar Baby’). O experimento foi conduzido em blocos ao acaso, com quatro repetições e 17 plantas por parcela para as populações segregantes, e cinco plantas por parcela para as testemunhas. Avaliou-se: número total de sementes do fruto; número de sementes/100 gramas de polpa; comprimento, largura e espessura de sementes (mm); massa total de sementes (g); massa de 100 sementes (g); e coloração de sementes. As características de sementes variaram entre os genótipos em relação às variáveis quantitativas, tendo se observado que houve diferenças significativas para todas as características avaliadas, exceto número de sementes por 100 gramas de polpa que não apresentou diferença entre médias pelo teste de Scott-Knott. Das populações avaliadas, os genótipos 1 e 3 apresentaram menores quantidades de sementes por fruto quando comparadas com as populações 2, 4 e 5; igual número de sementes da cultivar Crimson Sweet e inferior ao das cultivares Sugar Baby e Charleston Gray. Observou-se nas populações 2 e 3 menores tamanhos de comprimento, largura e espessura, assim como menores massas totais e de 100 sementes. Quanto às características qualitativas de sementes, a população 2 se sobressaiu no quesito cor em relação às cultivares comerciais, visto que as sementes mais escuras contrastam mais com a polpa de cor vermelha e são mais atrativas ao consumidor. As populações 1 e 4 tiveram cor igual à das cultivares Sugar Baby e Crimson Sweet. Foram identificadas as populações 1, 2 e 4 que apresentaram sementes com coloração atrativa; as populações 2 e 3 com sementes menores; e as populações 1 e 3 com quantidades de sementes favoráveis aos consumidores. Deve-se avaliar a variabilidade dentro de cada população visando identificar plantas com sementes atrativas simultaneamente às diferentes características de interesse ao consumidor. Apesar do pequeno número de frutos autofecundados obtidos, caso se identifique progênies individuais promissoras e com sementes endogâmicas, estas poderão ser avaliadas na geração F3.


Palavras-chave


Citrullus lanatus; Características organolépticas; Variabilidade genética; Melhoramento genético; Sistemas sustentáveis.