Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
A MORTE E O SUICÍDIO COMO OBJETOS DE COMPREENSÃO: A EXPERIÊNCIA DA THANÁTOUS
João Paulo Santos Leite, Alexandre Henrique dos Reis, Hellen Andrade Nunes, Heloisy Tinel Silva, Mariana Cardoso Dantas, Mayriane Santos Silva, Talita Claúdia Sá da Silva, Washington Luiz Santos Azevedo

Última alteração: 2019-11-21

Resumo


O suicídio é um fenômeno complexo e multifatorial que vai além dos limites de um único campo do conhecimento, no qual estão implicadas as particularidades biopsicossociais dos sujeitos. A partir desta afirmação, a produção científica brasileira tem se prendido a um tratamento disciplinar deste fenômeno, com uma produção muito tímida em diversas áreas fundamentais para a compreensão do suicídio: a maioria das pesquisas trazem um viés psiquiátrico e se destacam no campo da saúde. Apesar de índices consideráveis, o OMS tem indicado o suicídio como problema de saúde pública desde os anos de 1990, o debate público e a pesquisa no Brasil ainda esbarram em tabus e incompreensões que dificultam o avanço nas explicações e prevenção da morte auto infligida. Destacamos a importância de espaços para que a discussão e a desmitificação do tema aconteçam de forma ética e compromissada com o bem estar da população, de forma interprofissional, tendo em vista que a interdisciplinaridade acerca do tema é indispensável na promoção de ações interventivas de qualidade. Visto esse cenário, foi fundada a Liga Acadêmica Interdisciplinar para o Estudo da Morte e do Suicídio (LAIEMS - Thanátous), alocada no Colegiado de Ciências Sociais da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF). A liga se organiza para que através dos três pilares acadêmicos (ensino, pesquisa e extensão) as temáticas relacionadas à morte e ao suicídio sejam discutidas e gerem ações interventivas para a comunidade. As atividades foram realizadas pelos ligantes juntamente com o professor coordenador, além de eventuais parcerias profissionais. Como público alvo, elencaram-se estudantes do ensino superior (para atividades de formação continuada) e a sociedade em geral (para ações extensionistas e eventos abertos). As atividades foram desenvolvidas entre novembro de 2018 até o presente momento. Dessa forma, este trabalho trata-se de um relato de experiência das atividades desenvolvidas pela LAIEMS, as quais, foram executadas na seguinte sequência: I) Preparação teórica-científica dos membros através de discussões para o aprofundamento da temática; II) Realização da Roda de Conversa “A morte sentida, vivida e enfrentada”; III) Execução da Aula aberta “Do Suicídio, considerado à luz da deontologia e da teleologia”; IV) Promoção de uma semana de atividades referentes ao Setembro Amarelo, as quais envolveram: ornamentação da UNIVASF e Universidade de Pernambuco (UPE) com murais de apoio, caixinhas de depoimentos e cartazes conscientizadores; Realização das Rodas de Conversa “Suicídio: limites da compreensão” no Campus Centro da UNIVASF, e “Suicídio: Compreensão e Cuidado” na Câmara de Vereadores do município de Juazeiro-BA; V) Execução de rodas de conversa no CAPS-AD III de Petrolina abordando à importância do Setembro Amarelo, estratégias de autocuidado e temáticas referentes a ansiedade, estresse e estressores. Como conclusão preliminar, vemos que as ligas acadêmicas são espaços propícios para a formação diferenciada em saúde ao propor o protagonismo discente em temáticas que muitas vezes não são contempladas nos currículos acadêmicos.

Palavras-chave


suicídio; morte; práticas interdisciplinares