Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
Efeito dos ácidos fúlvicos e húmicos na nutrição de mangueira no Vale do São Francisco
Talison Sousa da Silva, Augusto Miguel Nascimento Lima, Isadora Mororo de Souza, Ana Paula Torres

Última alteração: 2019-11-07

Resumo


A cultura da mangueira apresenta grande importância econômica e social na região do Vale do São Francisco, englobando um grande volume anual de negócios e sendo uma das principais culturas responsável pela maior geração de empregos, entre as culturas irrigadas desta região. Para atingir produtividades satisfatórias há necessidade de conhecimentos referentes ao aspecto nutricional da mangueira, que apresentam duas fases distintas: o de acúmulo de nutrientes, iniciada após a colheita até o início da floração, e a outra durante a formação dos frutos com a redução dos níveis de nutrientes foliares. As substâncias húmicas atuam como condicionadores de solo e suprindo nutrientes para as plantas. Desta forma, o presente trabalho teve por objetivo avaliar o efeito da aplicação dos ácidos fúlvicos, ácidos húmicos e ácidos orgânicos na nutrição de mangueira cv. Palmer no Vale do São Francisco, através da determinação dos teores foliares de macro e micronutrientes. O experimento foi realizado em pomar comercial de mangueira localizado no município de Petrolina – PE. Foram avaliadas plantas da variedade Palmer plantadas em espaçamento 8 x 5 m. O delineamento experimental empregado foi em blocos ao acaso, com tratamentos avaliados em parcelas subdivididas no tempo, utilizando ácidos fúlvicos, ácidos húmicos e ácidos orgânicos, nas parcelas em quatro épocas de avaliação (pós-poda/repouso, paralisação de crescimento, florada plena e enchimento de frutos) nas subparcelas com quatro repetições e quatro plantas por parcela. Assim, os tratamentos adotados foram: T1: Testemunha, sem aplicação de produto; T2: Ácidos fúlvicos; T3: Ácidos húmicos; T4: Ácidos fúlvicos + Ácidos húmicos e T5: Ácidos orgânicos. Os ácidos fúlvicos, ácidos húmicos e ácidos orgânicos foram aplicados por fertirrigação no início de cada época de avaliação e suas quantidades definidas seguindo as respectivas indicações para a cultura da mangueira. No final de cada fase de desenvolvimento da cultura foram coletadas amostras de folhas para determinação dos teores de macro (Ca, Mg, P, K) e micronutrientes (Fe, Zn, Mn). Os teores de macronutrientes nas folhas das plantas de mangueira obedeceram a ordem decrescente de Ca>K>Mg>P, nas fases de fim da brotação e fim da indução floral (pré-florada), e Ca>K>P>Mg para as fases de florada plena e fim do enchimento do fruto. A ordem dos teores de micronutrientes foliares segue Mn>Fe>Zn em todas as fases do ciclo de produção da mangueira. Para os nutrientes K e Ca, a cultura da mangueira cv. Palmer apresenta duas fases distintas: 1) acúmulo do nutriente, que se inicia após a poda de produção até o fim da indução (pré-florada), e 2) durante a floração e desenvolvimento dos frutos, com a redução significativa dos teores desses nutrientes na folha. Já para o Mg e Cu, o acúmulo de nutriente na folha se inicia após a poda de produção até o fim da brotação, com decréscimo nas fases subsequentes. (Apoio: CNPq, FACEPE)


Palavras-chave


Substâncias húmicas; macronutrientes; micronutrientes; Mangifera indica L.