Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
Construção e avaliação da eficiência de um secador solar de baixo custo (versão 3.0) para desidratação de goiaba
Mateus Gomes Rodrigues, Karla dos Santos Melo de Sousa, Neiton Silva Machado, Bruno Emanuel Sousa Coelho, Laurenielle Ferreira Moraes da Silva, Nacyara Campos Peixoto Agra

Última alteração: 2019-11-14

Resumo


Um dos maiores problemas encontrado pelo pequeno produtor rural é que durante o período de safra a fruta in natura deve logo após a colheita ser consumida ou comercializada, sendo na maioria dos casos o excedente da produção perdido, o que além de não gerar renda ainda traz prejuízo a este agricultor e ao meio ambiente; um exemplo é a goiaba, que é um fruto climatérico, altamente perecível. Como alternativa para solucionar este problema tem-se o método mais antigo de preservação de alimentos que é a secagem de produtos agrícolas, este se baseia na remoção de água através de calor, resultando na diminuição da quantidade de água disponível para o crescimento de micro-organismos e reações bioquímicas responsáveis pela degradação no alimento, o que aumenta o tempo de vida prateleira e agrega valor ao produto final obtido. A secagem pode ser realizada de duas formas: secagem artificial e secagem solar.  A secagem solar tem como vantagem ser um processo simples, uma tecnologia de baixo custo e de fácil acesso ao pequeno produtor rural, além de utilizar uma energia renovável e bastante disponível na região do semiárido nordestino. Diante do exposto, o presente trabalho teve como objetivo, construir um protótipo de secador solar de baixo custo (versão 3.0), de exposição direta e avaliar a desidratação da goiaba, visando a obtenção da goiaba-passa. Analisando os resultados encontrados observou-se que o protótipo desenvolvido se apresentou eficiente no processo de secagem da goiaba, além disso, constatou-se que a goiaba-passa obtida é um produto com características aceitáveis e apreciadas pelo consumidor, podendo ser uma alternativa de renda para o pequeno produtor rural. O processo de secagem solar durou 1080 minutos (18 horas), obtendo-se ao final a goiaba-passa.

 


Palavras-chave


Psidium guajava; secagem solar; pós-colheita