Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
Pré-cultivo do solo com plantas forrageiras beneficiam o crescimento de moringa
Edimario Neres Rodrigues, Luiz Victor de Almeida Dantas, Lilian Araújo Rodrigues, Tamires Soares Silva, Wellerson Kennie Nascimento Macêdo, Adriana Mayumi Yano-Melo

Última alteração: 2019-11-11

Resumo


Moringa oleifera é conhecida por possuir vários nutrientes e antioxidantes distintos, distribuídos em suas folhas, flores, raízes e sementes, conferindo diversas propriedades medicinais e antibacterianas, além de uma fonte natural rica em minerais e vitaminas. Os fatores edáficos possuem grande importância para a produção desta espécie de interesse agronômico, uma vez que podem interferir no desenvolvimento das plantas bem como na comunidade microbiana presente nos solos. Os fungos micorrizicos arbusculares (FMA) fazem parte da comunidade edáfica e destacam-se por associarem-se mutualisticamente com mais de 80% das plantas estudadas e estão relacionados a diversos processos benéficos para os vegetais. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a diversidade funcional de fungos micorrízicos arbusculares, bem como quantificar o crescimento de plantas de moringa (Moringa oleifera Lam.) cultivadas com solo-inóculo de FMA. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado com seis tratamentos (T1 = solo de Caatinga nativa - Controle; T2 = Solo com plantio de capim-buffel não irrigado; T3 = Solo com plantio de palma forrageira irrigado; T4 = Solo com plantio de maniçoba irrigado; T5 = Solo com plantio de pornunça irrigado; T6 = Solo com plantio de capim-buffel irrigado), em oito repetições. Os solos-inóculos provindos de áreas de capim-buffel não irrigado e pornunça irrigada destacaram-se em relação aos demais tratamentos, principalmente por promoveram incremento na altura e biomassas fresca e seca da parte aérea, diferindo significativamente dos demais tratamentos. Embora a eficiência promovida pelos FMA contidos nos solo-inóculos tenha diferido, a colonização micorrízica não diferiu, observando-se valores acima de 95%, fato possivelmente relacionado a composição da comunidade de FMA. Os resultados apontam uma possível modulação da comunidade de FMA causada pelo pré-cultivo com plantas forrageiras, sugerindo a necessidade de identificação das espécies mais funcionais para avanço nos estudos sobre interação microbiana.


Palavras-chave


moringa; micorriza, crescimento inicial