Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
Inspeção em Scinax spp. (Anura: Hylidae) parasitada por trematódeos digenéticos
Maria Carolina Alves da Silva, Brunara Evely De Araujo Lima, Kedma Cristina Barros Araújo, Vashtir Ramalho dos Santos Braga, Vitória De Sousa Ribeiro, Gabriela Félix Do Nascimento Silva

Última alteração: 2019-11-21

Resumo


O Brasil é o maior país sul-americano onde abriga a fauna mais rica de anfíbios, no entanto, vem sendo observado um declínio nas populações, diante disso estudos vêm sendo realizados para entender a ecologia dos anfíbios e relatar o parasitismo nesses organismos. Os parasitos dos gêneros Gyrinicola, Oxyascaris, Ochoterenella, Physaloptera, Cylindrotaenia, Apharingostrigea, Lophosicyadiplostomum, Acanthocephalus, Centrorhynchus, Aplectana, Cosmocerca já foram relatados em pererecas do gênero Scinax spp. Diante disso, este estudo teve como objetivo verificar a presença e realizar a identificação de parasitos na superfície externa e nos órgãos de pererecas do gênero Scinax spp. da família Hylidae. A captura dos indivíduos foram realizadas no mês de Julho de 2019, na Universidade Federal do Vale do São Francisco - Campus Ciências Agrárias, Petrolina-PE, através da busca ativa. Dois espécimes, sendo uma fêmea e o outro não foi possível identificar o sexo devido a imaturidade das gônadas, foram coletados e levados para o laboratório de morfofisiologia do CEMAFAUNA. Sob a orientação da professora e médica veterinária, seguindo as diretrizes propostas na Resolução CFMV nº 1000 de 11 de maio de 2012, foi realizada a eutanásia. A superfície externa foi inspecionada na lupa à procura de lesões ou ectoparasitos, no entanto nenhum parasito foi encontrado. Em seguida, utilizando tesoura e pinça, foi iniciada a incisão da pele e da musculatura abdominal do animal na posição dorsoventral, o qual foi realizada a retirada dos órgãos na seguinte sequência: fígado, trato cardiopulmonar, trato gastrointestinal, bexiga e rins. Cada órgão foi individualizado em placas de Petri contendo solução fisiológica à 0,9%. Somente o indivíduo imaturo Scinax spp. estava parasitado por metacercárias de trematódeos digenéticos (n=14) nos rins, sendo este o primeiro registro para este gênero de anuro. Estudar a diversidade dos parasitas em anuros têm contribuído para entender a ecologia e ciclo de vida dos parasitos, bem como auxiliar na manutenção dos ecossistemas e para o entendimento  da relação parasito-hospedeiro.

Palavras-chave


parasito, anfíbio, Digenea.