Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO DA FUNCIONALIDADE E ESTADO EMOCIONAL DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS
Jucélia Gonçalves Ferreira Almeida

Última alteração: 2019-11-06

Resumo


INTRODUÇÃO. A institucionalização do idoso é um resultado adverso da fragilidade, proveniente de fatores que sugerem abandono familiar, exclusão e isolamento social, que colaboram ao aparecimento de pensamentos, sentimentos e atitudes negativas ou à rejeição, que compromete o estado emocional, mental e qualidade de vida. OBJETIVO. Identificar de que forma o estado emocional do idoso institucionalizado pode afetar sua funcionalidade. METODOLOGIA. Pesquisa aprovada pelo CEP/UNIVASF (CAEE Nº 89477618.1.0000.5196), onde 54 indivíduos responderam aos questionários: medida de independência funcional (MIF), com o objetivo de mensurar o nível de independência para atividades de vida diárias; Mini Mental, para avaliar o estado cognitivo dos participantes; Escalas de Beck, aplicadas pelos profissionais de psicologia para identificar nível de desesperança, ideação suicida e estágio de depressão. Os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. RESULTADOS. Identificou-se que 71% dos idosos necessitavam de assistência máxima para realização das atividades; 14% dos idosos apresentavam comprometimento cognitivo; 2% (dois por cento) apresentavam quadros depressivos; e, dentre os indivíduos pesquisados, 1% apresentou desesperança/ideação suicida. CONCLUSÃO: Foi possível perceber que a institucionalização contribui para redução do estado cognitivo de idosos. Sugere-se que sejam adotadas intervenções multidisciplinar com o objetivo de minimizar os impactos.


Palavras-chave


Qualidade de vida, envelhecimento, Impactos sociais.