Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
Avaliação dos comportamentos fisiológicos e bioquímicos para variedade manga (Mangifera indica) cv. Palmer cultivadas no Vale do São Francisco submetidas a doses de filme protetor contra estresses abióticos
Letícia Yonara Andrade Amorim, ÁLLEF FRANKCLEN REGIS BARBOSA, MARCOS ALEXANDRE DE OLIVEIRA JÚNIOR, ÍTALO HERBET LUCENA CAVALCANTE, MARCELLE ALMEIDA DA SILVA

Última alteração: 2019-11-13

Resumo


A mangicultura na região semiárida possui grande destaque, não apenas pela expansão da área cultivada e volume de produção, mas, principalmente, pelos altos rendimentos alcançados e qualidade da manga produzida. O semiárido nordestino apresenta características bem peculiares devido ao seu clima classificado como quente e seco. Visando atenuar os efeitos ocasionados por estresses abióticos muitas empresas de produtos agroquímicos, almejam atenuar esses impactos com a composição de produtos como o HUMIGEL, que apresenta a proposta de reduzir, protegendo o aparato fotossintético das altas irradiâncias. Diante do exposto, o presente trabalho objetivou analisar as trocas gasosas da cv. Palmer no submédio Vale do São Francisco submetidas à aplicação do produto HUMIGEL. O experimento foi desenvolvido na fazenda Aracê, localizado em Petrolina-PE, com cultivares da variedade Palmer, onde o clima é classificado como Bswh, com temperatura média anual de 26,0 ºC e precipitação média anual de 481,7 mm. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, avaliado em parcelas subdivididas, com quatro repetições de duas plantas cada. Os tratamentos foram constituídos de T1: Testemunha absoluta;  T2: Aplicação foliar de carbonato de cálcio (5 kg/100 L); T3: Aplicação foliar de Humigel Plus A (500 ml/100 L); T4: Aplicação foliar de Humigel Plus A (500 ml/100 L) + carbonato de cálcio (5 kg/100 L); T5: Aplicação foliar de Humigel Plus A (500 ml/100 L) + carbonato de cálcio (7,0 kg/100 L); T6: Aplicação foliar de Humigel Plus A (2000 ml/100 L). Os tratamentos foram aplicados uma única vez logo após a última indução floral. Para determinação dos efeitos dos tratamentos na cultivar avaliaram-se a taxa fotossintética líquida (Photo), taxa de transpiração (Trmmol), condutância estomática (Cond) e concentração interna de CO₂ (Ci), com o medidor portátil de CO2 a infra-vermelho (IRGA). Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas entre si pelo teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade. Os resultados evidenciaram que ao final dos dez dias de avaliação o tratamento que obteve as melhores médias para Photo, Cond e Trmmol foi o T6 (aplicação foliar de Humigel Plus A, 2000 ml/100 L) em comparação aos demais tratamentos. Em contrapartida para a Ci o tratamento que obtive as melhores médias foi o T1 (controle) quando comparado aos demais tratamentos.  A utilização da concentração adequada apresentada pelo tratamento T6 mostrou os melhores resultados em comparação aos demais tratamentos, demonstrando que a proposta do produto de proteger e melhorar o aparato fotossintético estão sendo cumpridas até o momento.


Palavras-chave


Humigel; trocas gasosas; fisiologia do estresse; danos ao aparato fotossintético.