Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
HISTÓRIA NATURAL DE UMA NOVA ESPÉCIE DO GÊNERO NEOTROPICAL Thaumatomyrmex MAYR, 1887 (PONERINAE, PONERINI) DAS DUNAS INTERIORES DO MÉDIO RIO SÃO FRANCISCO, NORDESTE DO BRASIL
Renata Valéria Dantas de Andrade, Gabriel Luis Celante da Silva, Dailton Augusto Andrade Morais, Dallety Priscila dos Anjos Silva, Benoit Jean Bernard Jahyny

Última alteração: 2019-11-11

Resumo


As Thaumatomyrmex chamam a atenção pela morfologia da cabeça, com lobos frontais muito espaçados e mandíbulas muito longas, finas e curvas, com três dentes longos e pontudos, adaptados à predação especializada em Penicillata (Myriapoda, Diplopoda) encontrada nas espécies estudadas. A maioria das espécies não possui gine e as colônias encontradas contêm menos de cinco operárias em média. O gênero possui alta capacidade de adaptação com espécies encontradas em florestas tropicais e outras em regiões semiáridas. Kempf, descrevendo Thaumatomyrmex contumax, ficou surpreso ao descobrir que uma Thaumatomyrmex poderia ser encontrada na Caatinga, um bioma de mata xérica e floresta de espinhos. Surpreendentemente, encontramos uma nova espécie de Thaumatomyrmex nas dunas do interior do rio São Francisco, uma ecorregião da Caatinga. A vegetação das dunas é xérica e composta por arbustos e ervas que formam ilhas de serrapilheira. Estudamos alguns aspectos da história natural desta nova Thaumatomyrmex. Procuramos forrageadoras e as seguimos para encontrar seu ninho. Alguns ninhos foram observados durante o dia e a noite. Registramos as atividades na entrada do ninho, idas e vindas com ou sem nada nas mandíbulas, tipos de presas e objetos trazidos de volta e comportamento de forrageamento. Os ninhos descobertos estão na base de arbustos, com uma entrada decorada com exuvia de larvas de Dermestidae (Coleoptera), tricomas de Penicillata e algumas outras partes de Arthropoda. O forrageamento é solitário e noturno, iniciando após o pôr do sol e todos as forrageadoras retornam ao ninho logo após o nascer do sol, típico para animais de deserto. As operárias podem deixar o ninho em uma linha reta de alguns metros e procurar ativamente em uma área de centenas de centímetros quadrados, como em outras Ponerinae. Algumas forrageadoras retornam ao ninho com um objeto ou uma presa identificada como Zygentoma (Insecta). Esta é uma nova dieta surpreendente para as formigas e para as Thaumatomyrmex. Pode ter uma ligação com a morfologia mandibular diferente desta nova espécie em relação às outras Thaumatomyrmex. Uma colônia foi coletada no interior de um cupinzeiro abandonado e era composta por nove operárias, um macho e alguns imaturos. É uma nova espécie sem rainha de Thaumatomyrmex, mas para uma Thaumatomyrmex é uma colônia que deve ser maior, pois podemos ter dez forrageadoras. Essa espécie mostra ainda mais a incrível capacidade das Thaumatomyrmex a se adaptarem a qualquer ambiente. Quais serão as próximas descobertas sobre essas formigas?

Palavras-chave


Ritmo nictemeral; forrageamento; hábitos alimentares; estrutura social; estrutura reprodutora.