Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
FATORES QUE DIFICULTAM O MANEJO CLÍNICO DE FERIDAS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA
Bianca Shauane Gonçalves da Silva, Danielly Elizeu Alves, Geovanna Majory Santos Almeida, Iris Caliane Coelho de Souza, Laisa dos Santos Silva, Laisla Pereira de Sousa, Mariane Valesca de Menezes Lacerda, Maria de Fátima Alves Aguiar Carvalho

Última alteração: 2019-11-21

Resumo


No Brasil há um alto índice de pessoas acometidas por alterações na integridade da pele, com especial destaque aos acometimentos crônicos. Tal panorama gera impacto econômico e caracteriza-se como problema de saúde pública. Como a Atenção Primária à Saúde (APS) é referenciada como a porta de entrada prioritária da rede de Atenção, deve funcionar como organizadora e reguladora da assistência, assim, esses serviços acabam sendo a referência para acolhimento e cuidado das pessoas com feridas. Este resumo tem por objetivo relatar a experiência dos membros da Liga Interdisciplinar de Cuidado com Feridas (LAIF) diante das dificuldades apontadas pelos profissionais da APS para o cuidado integral à pessoas com feridas. A interação entre os membros da LAIF e os profissionais da APS ocorreu durante as atividades da capacitação sobre feridas e coberturas, proporcionada pelo projeto de extensão “Mexendo na Ferida” realizada pela LAIF. Participaram da capacitação 21 enfermeiros e 2 técnicos em enfermagem. Para os membros da LAIF ficou claro que as principais dificuldades são em relação aos insumos e estrutura. Os profissionais relataram que muitas vezes faltam insumos básicos e que não há disponibilidade de curativos especiais, que poderiam tornar mais efetivo o cuidado às lesões crônicas e de difícil tratamento. Além disso, relatam a ausência de um ambiente adequado para a realização desses procedimentos, o que pode comprometer a recuperação das pessoas. Também foram apontados como dificultadores a falta de capacitação para o manejo das feridas. Os membros da LAIF entendem que para a efetivação do cuidado integral as pessoas com feridas é de suma importância que os profissionais estejam munidos de melhor preparo técnico-científico e suporte operacional. No entanto, esta não é a realidade encontrada pelos profissionais da APS. Ratificando a necessidade de projetos que visem a instrumentalização destes profissionais em relação as melhores condutas para uma prática mais eficaz e direcionadas as características da APS. Foram beneficiadas com a capacitação 18 Unidades de Saúde de diversos bairros do município de Petrolina. Os resultados servirão para nortear o planejamento das próximas atividades da LAIF e do projeto de extensão. Faz-se necessário a educação permanente de profissionais de saúde, visto que o tratamento de feridas adequado proporciona maior rapidez na cicatrização gerando menos recursos financeiros para o SUS.


Palavras-chave


Lacunas da prática profissional; Atenção primária à saúde; Ferimentos e lesões; Educação continuada.