Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
Corpos ilimitados? Os sentidos da construção estética de atletas de fisiculturismo
Caio Tavares Arraes, Roberta de Sousa Mélo

Última alteração: 2019-11-06

Resumo


Trata-se de um estudo acerca da produção corporal na qual se envolvem atletas de fisiculturismo das cidades de Petrolina-PE e Juazeiro-BA. A sua realização se dá na medida em que esses sujeitos, aparentemente, dispõem de atitudes e práticas que são muito particulares do universo o qual estão inseridos. Prevalece uma dinâmica reflexiva específica em torno da produção corporal que não se observa em outros contextos esportivos ou mesmo na sociedade como um todo. Em virtude disso, o objetivo geral desta pesquisa consiste em compreender como se dá a produção estética de fisiculturistas das cidades Petrolina-PE e Juazeiro-BA. Como objetivos específicos foram definidos: a) identificar os motivos que levaram os participantes a se tornarem atletas de fisiculturismo; b) compreender as percepções de limites que orientam suas práticas corporais; c) analisar como se dá o gerenciamento dos riscos associados à sua prática; e d) compreender como é realizada a manipulação corporal no contexto em questão. Para contemplar os objetivos estabelecidos, adotamos uma metodologia qualitativa, exploratória e de campo. As técnicas de coleta empregadas no estudo foram: a entrevista semiestruturada e observação participante. As entrevistas foram realizadas com 10 fisiculturistas amadores, sendo nove do sexo masculino e uma do sexo feminino. Dos 10 entrevistados, três são de Juazeiro-BA e sete da cidade de Petrolina-PE. A observação aconteceu em um evento ocorrido na cidade de Petrolina-PE no dia 28 de Setembro de 2019. Os relatos dos entrevistados têm, em comum, histórias de insatisfação com a própria imagem corporal e também o interesse em buscar e utilizar de estratégias visando melhorarem sua condição física. É possível perceber, também, que desde muito cedo o corpo já assume um papel central no cotidiano dessas pessoas, seja como alvo de comentários de terceiros ou como objeto das intervenções realizadas por elas mesmas na intenção de melhorarem sua condição física. Ao ingressarem no fisiculturismo eles adotam uma série de práticas e atitudes que, de fato, são muito características do universo o qual estão inseridos. Os relatos nos trazem como esses sujeitos administram seus corpos a partir de conhecimentos já estabelecidos a respeito do corpo, contudo, os utilizam muito especificamente, obedecendo aos critérios da modalidade. Dessa forma, é possível afirmar que esses sujeitos se envolvem em projetos reflexivos específicos no que diz respeito à sua produção corporal e, além disso, têm plena consciência dos limites que podem romper e das barreiras que devem ser ultrapassadas para atingir seus objetivos que, quase sempre, são temporários. Esta é outra característica inicialmente percebida em suas falas. Os entrevistados demonstram ter plena consciência de que não existe um corpo perfeito, não buscam isso. Valorizam muito mais o processo de construção corporal do que o resultado final propriamente dito. Desse modo, é possível perceber o quão específica é a construção corporal desses sujeitos, além de identificar como a sua produção corporal é consequência das relações sociais estabelecidas nos mais diferentes contextos. Por fim, recomenda-se a realização de novas pesquisas no intuito de aprofundar os conhecimentos a respeito desses grupos.


Palavras-chave


Corpo; Fisiculturismo; Produção Estética