Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
EFEITO DA INCLUSÃO DO ÁCIDO RETINÓICO NA MATURAÇÃO E FECUNDAÇÃO IN VITRO DE OÓCITOS OVINOS
Ana Elisa Custódio Montes Candido, Maria Naiara Pereira da Silva, Priscila Ramos Gonçalves, Bruna Dias Mangueira Bastos, Rita Kayla Costa de Souza, Elaine Rosa Fagundes Feitoza, Illa Carla Santos Carvalho, Elenice Andrade Moraes, Mabel Freitas Cordeiro, Edilson Soares Lopes Júnior

Última alteração: 2019-11-07

Resumo


A produção in vitro de embriões (PIV) possibilita a utilização de fêmeas doadoras de alto valor genético, assim como o aumento da quantidade de embriões. Na maturação in vitro de oócitos (MIV), vem se observando que a presença de espécies reativas de oxigênio (ERO) nos meios tem gerado processos oxidativos, prejudicando as taxas de MIV em ovinos. Nesse contexto, assumem papel importante as substâncias antioxidantes, como o ácido retinóico (AR). Contudo, não há relatos do papel antioxidante do all-trans ácido retinóico na maturação in vitro de oócitos ovinos. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar a inclusão do all-trans ácido retinóico no meio de maturação in vitro de oócitos sobre a produção in vitro de embriões ovinos. O experimento foi realizado no Laboratório de Fisiologia e Biotecnologia da Reprodução animal (LAFIBRA), da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), em Petrolina-PE. Os ovários foram obtidos de um abatedouro local e levados ao laboratório em solução NaCl 0,9%, a 34 °C. A colheita dos oócitos foi realizada, utilizando uma bomba de vácuo, a uma pressão de 30 mmHg, uma agulha 18 G e o meio de recuperação composto por TCM 199, suplementado com heparina, gentamicina e soro fetal bovino. Os oócitos, colhidos e avaliados como de graus I, II e III foram divididos em quatro grupos de maturação: controle (CON), composto de TCM-199, suplementado com bicarbonato de sódio, FSH, soro fetal bovino, de estradiol, L-glutamina, fator de crescimento epidérmico, piruvato de sódio e soro de ovelha em estro; o CIS, formado por oócitos imersos no meio CON, suplementado com cisteamina; já nos grupos AR0,5 e AR1,0, os oócitos foram imersos no mesmo meio do grupo CON, sendo adicionados 0,5 μM e 1 μM de All-trans ácido retinóico, respectivamente. Os oócitos foram dispostos em gotas de 50 µL de meio MIV, sob óleo mineral, durante 24 horas, a 38,5°C, em 5% de CO2. Em seguida, os oócitos maduros foram inclusos em gotas com meio FIV, juntamente com os espermatozoides selecionados e capacitados. O grupo AR 1,0 apresentou maior porcentagem de células do cumulus expandidas em relação ao grupo controle (P<0,05), enquanto os grupos AR 0,5 e CIS não apresentaram diferença significativa (P>0,05). Com relação ao grau de expansão alto, o grupo AR1,0 foi significativamente superior aos grupos CIS e CON. Em relação à expansão das células do cumulus associada à extrusão do primeiro corpúsculo polar, o grupo CIS apresentou maior porcentagem em relação ao grupo controle, enquanto os grupos AR 0,5 e AR 1,0 não apresentaram diferença significativa (P<0,05). Na fecundação in vitro, o grupo CIS apresentou a maior

porcentagem de presumíveis zigotos. Sendo assim foi possível concluir que a adição de ácido retinóico, nas concentrações de 0,5 µM e 1 µM, não favorece a maturação in vitro de oócitos comparada à cisteamina. Contudo, mais estudos são necessários a fim de investigar a possível relação do ácido retinóico/ expansão das células do cumulus, bem como as concentrações ideais nos meios de maturação.


Palavras-chave


Antioxidante; Ovário; Ovelha; PIV.