Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
Coleções arqueológicas em espaços museais: objetos, exposições e narrativas
Aline Bianca Gomes de Oliveira, Larissa Campos Pereira, Leandro Elias Canaan Mageste

Última alteração: 2019-11-19

Resumo


A pesquisa desenvolvida no Laboratório de Preservação Patrimonial da UNIVASF, nesse eixo específico de Museologia, se direciona para as coleções arqueológicas musealizadas no estado do Piauí, especificamente as coleções cerâmicas. Para isso, realizamos o mapeamento das coleções arqueológicas musealizadas a partir de um extenso levantamento documental, sendo o ponto de partida para pensar a respeito da diversidade de configurações, formação e construção desses acervos. A partir dessas informações, foi possível selecionar um conjunto de instituições chaves para serem visitadas e observadas no tocante a natureza dos processos de musealização e das estratégias de consagração adotadas. Para esta seleção, foi considerada a relevância prévia das regiões apontadas ao centralizar os núcleos acadêmicos e profissionais da Arqueologia. São consultados e registrados o histórico dessas instituições, a documentação museológica pertinente, quando disponível; o circuito expositivo e as áreas de reserva técnica, quando acessível. Como metodologia, a adoção de um paradigma indiciário no que se refere ao recolhimento de pistas que permitam entender os processos de formação das coleções arqueológicas enfocadas, suas estratégias de consagração e particularidades de musealização, se mostrou pertinente. Para esse momento, as reflexões se concentraram principalmente no Museu do Homem Americano, situado em São Raimundo Nonato e comprometido em divulgar as hipóteses produzidas a respeito do povoamento da América. Trata-se de espaço relacionado com a atuação da Fundação Museu do Homem Americano na região, sintetizando em suas exposições permanentes narrativas relacionadas com as pesquisas arqueológicas conduzidas desde a década de 1970, comprometidas com a antiguidade da ocupação humana nas Américas. Essa história é contada por meio de coleção de materiais arqueológicos, compostos em sua maioria por vestígios e conjuntos cerâmicos, líticos, material ósseo, entre outros, atrelados com textos informativos. Existe a preocupação em contextualizar o processo de geração de dados por meio da Arqueologia, com estratégias interativas voltadas para o trabalho de escavação e relacionada com o contexto do Parque Nacional Serra da Capivara. Se por um lado o museu atua de modo coerente para a construção de um discurso sobre o passado pré-colonial, por outro, expressa possíveis dificuldades para comunicação dessas informações e construção de uma memória social, relacionadas principalmente a poucas evidências relacionadas a contextos mais recentes e capazes de servir como fio condutor entre os diferentes passados. Frente este cenário, as expectativas com a continuidade da pesquisa, são de ampliar o leque de instituições abordadas, partindo da premissa de que os museus e suas coleções são boas ferramentas para pensar a respeito das interfaces entre a Arqueologia e a sociedade, analisando profundamente as representações construídas no estado do Piauí.


Palavras-chave


Musealização da Arqueologia; Coleções arqueológicas; Cerâmica