Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
Relação entre paclobutrazol e diversidade funcional de fungos micorrízicos arbusculares
Esther Novic Silva, Luiz Victor de Almeida Dantas, Danielle Karla Alves da Silva, Márkilla Zunete Beckmann Cavalcante, Adriana Mayumi Yano-Melo

Última alteração: 2019-11-11

Resumo


O paclobutrazol (PBZ) é um fitorregulador vegetal aplicado no solo de diversas culturas, dentre estas a mangueira (Mangifera indica L.), com o objetivo de estimular a floração visando a colheita em qualquer época do ano. Uma das formas de utilização do PBZ é sua diluição em água e posterior aplicação direta no solo, onde é absorvido pelas raízes das plantas e transportado pelo xilema para ramos e flores. No solo, o composto pode impactar comunidades de micro-organismos como as de fungos micorrízicos arbusculares (FMA) que fazem associação mutualística com a maioria das espécies vegetais. O efeito do PBZ na diversidade funcional dos FMA ainda é pouco conhecido, por isso o estudo teve como objetivo verificar se o uso do PBZ em cultivo de mangueira seleciona espécies de FMA com menor eficiência simbiótica. A coleta de solo foi realizada em área de cultivo de manga em Juazeiro-BA, correspondendo aos seguintes tratamentos: Caatinga nativa (CA), área de plantio inicial de mangueira sem aplicação de PBZ (C), área de mangueira com três (T3), nove (T9) e 15 anos (T15) de aplicação do PBZ. Foram coletadas dez amostras compostas, constituídas por quatro subamostras, de cada tratamento, totalizando 50 amostras compostas de solo. O solo coletado foi utilizado para execução de um experimento em casa de vegetação utilizando Girassol Dobrado Anão Sungold Amarelo (Helianthus annuus L.) com o objetivo de avaliar os efeitos residuais do PBZ na comunidade de FMA presente no solo e sua influência no desenvolvimento do girassol até seu estágio R5.5 (50% das flores do disco em antese). Para avaliação do desenvolvimento do girassol foram quantificadas inicialmente quinzenalmente e em seguida semanalmente a altura, diâmetro do caule, número de folhas e teor de clorofila para cada tratamento, assim como biomassa seca e fresca da parte aérea e radicular e área foliar ao final do experimento. Para caracterização da comunidade de FMA, realizou-se antes e após o experimento, extração e contagem de glomerosporos seguida da identificação dos táxons de FMA, e quantificação da colonização por arbúsculos, vesículas e hifas nas raízes do girassol. Os menores valores para o número de glomerosporos foram encontrados em T9 e T15. Menor colonização total foi observada em T3, diferindo significativamente de CA e TC, destacando-se o maior valor para colonização micorrízica encontrado na Caatinga nativa. Em relação as variáveis agronômicas, TC proporcionou o menor incremento para o crescimento do girassol, ao contrário de T15, que promoveu maior crescimento, seguido de T9 e CA. Os parâmetros agronômicos alcançados com T3 foram semelhantes a CA, excetuando a clorofila e biomassa seca da parte aérea. A comunidade de FMA mesmo influenciada pela aplicação do PBZ a médio e longo prazo apresenta funcionalidade e contribui eficientemente para o crescimento do girassol.

Palavras-chave


Funcionalidade; Girassol; Mangueira; FMA; PBZ.