Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
Nível de atividade física e variáveis antropométricas de adultos de ambos os sexos de Petrolina-PE
Rafael Gomes Santos, Lorrana Kayola Santos Barros, Débora Vitória Santos Moreira, Renato De Luna Sobral, Sérgio Rodrigues Moreira

Última alteração: 2019-11-08

Resumo


Já é bem esclarecido na literatura que o sedentarismo pode acarretar inúmeros problemas a saúde, como obesidade, que está associada a outras comorbidades (doenças cardiovasculares, transtornos alimentares, diabetes mellitus, dislipidemia e síndrome metabólica). Apesar desse contexto, quase metade da população brasileira ainda é classificada como sedentária e 47% das pessoas em idade adulta no Brasil não praticam atividades físicas suficientemente, não cumprindo à recomendação padrão da organização mundial da saúde. A inatividade física pode gerar um prejuízo relativo (associado ao estilo de vida) nos aspectos antropométricos, como na circunferência da cintura, a qual quando acima da normalidade pode ser um importante indicador de doenças cardiovasculares. Portanto, aumenta-se a ênfase em estudos que procuram evidenciar o grau de interferência da atividade física na vida das pessoas.  O objetivo deste trabalho foi analisar o nível de atividade física (NAF) e sua relação com variáveis antropométricas de adultos de ambos os sexos da cidade de Petrolina-PE. Foram avaliados 200 indivíduos (39,0 ± 18,03 anos, 66,1 ± 13,57 kg,163,0 ± 0,09 cm) participantes de um evento aberto à comunidade na cidade de Petrolina-PE promovido pelo Programa de Educação Tutorial de Educação Física da Universidade Federal do Vale do São Francisco. A população foi convidada a participar de uma avaliação física onde foram mensuradas variáveis como massa corporal (MC), estatura (EST), índice de massa corporal (IMC), circunferência da cintura (CC), e o nível de atividade física (NAF) através do questionário Internacional de Atividade Física versão curta (IPAQ). Os resultados do IPAQ foram analisados agrupando indivíduos MUITO ATIVOS, ATIVOS e IRREGULARMENTE ATIVOS (ATV) e indivíduos SEDENTÁRIOS (SED). Estatística descritiva com valores médios, desvio padrão e distribuição percentual foi realizada no software SPSS versão 22.0. O nível de significância do estudo foi P<0,05. A amostra apresentou-se com o IMC de 24,7±4,3 kg/m2; CC de 77,6±12,2 cm e; NAF de 2,0±1,0 (ATIVO), sendo resultados na média geral atendendo aos padrões recomendados para saúde. Contudo, após serem analisados os resultados foram observadas distribuições percentuais diferentes entre grupos para IMC (HOMENS: ATV: 38,9% vs. SED: 55,8%; MULHERES: ATV: 36,1% vs. SED: 53,2%) e CC (HOMENS: ATV: 5,6% vs. SED: 2,9%; MULHERES: ATV: 9,6% vs. SED: 17,0%). Os achados demonstram que o grupo de indivíduos SEDENTÁRIOS se apresenta com maior percentual de indivíduos sobrepesados (homens e mulheres), especialmente quando analisada a variável IMC da amostra estudada. Recomenda-se mais investimentos e políticas públicas voltadas a programas de promoção e conscientização à prática de atividade física sistematizada, de modo a melhorar a qualidade de vida da população em geral.


Palavras-chave


Sobrepeso; Atividade física; Saúde