Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
EFEITO DE EXTRATOS DE PLANTAS DA CAATINGA SOBRE OS PARÂMETRO BIOLÓGICOS DE Beauveria bassiana VISANDO O CONTROLE DO ÁCARO BRANCO DA VIDEIRA
Ana Luiza Oliveira Barbosa, Robson Barros dos Santos, Glícia Silva de Moraes, Matheus de Jesus Sá Silva, Virgínia Michelle Svedese

Última alteração: 2020-02-05

Resumo


No Brasil, grande tem sido a utilização de produtos químicos que evitam doenças, insetos ou plantas daninhas que prejudiquem as plantações, especialmente em virtude do crescente aumento da produtividade agrícola. No entanto, apesar desses fatores positivos, sabe-se que o uso frequente e inadequado dos agrotóxicos oferece riscos à saúde humana e ao ambiente. Assim, a associação de fungos entomopatogênicos e extratos vegetais constitui-se como uma alternativa aos compostos químicos, os quais tem sido a maneira central para o controle do ácaro branco. Contudo, os extratos vegetais podem atuar negativamente sobre os fungos, diminuindo sua eficiência. Desta maneira, o presente trabalho objetivou avaliar o efeito de extratos (nas concentrações de 5, 10 e 15%) de plantas da caatinga (aroeira, catingueira, juazeiro, jurema preta, marmeleiro e tabebuia) sobre os parâmetros biológicos de duas linhagens (URM 4344 e URM 5138) de Beauveria bassiana. Para isso, foram avaliados a germinação (contando-se 400 conídios entre os germinados e não germinados), o diâmetro da colônia após 10 dias do crescimento micelial, e o número de conídios; posteriormente, e a compatibilidade fúngica foi determinada pela fórmula IB= 47(CV)+43(ESP)+10(GERM)/100, determinando-se como tóxico de 0 a 41, moderadamente tóxico de 42 a 66 e, compatível >66. Os valores de índice biológico (IB) para a classificação do efeito dos extratos sobre a linhagem URM 5138, indicaram compatibilidade entre B. bassiana e todos os extratos, para a concentração de 5%. E os valores de IB para a classificação do efeito do extrato sobre a linhagem URM 4344, indicaram compatibilidade entre B. bassiana e o extrato de tabebuia, em todas as concentrações (5, 10 e 15%). Este estudo, especialmente em relação a concentração de 5%, confirmou a compatibilidade entre todos os extratos vegetais e a linhagem URM 5138 de B. bassiana. E para a linhagem URM 4344 de B. bassiana, foi indicado compatibilidade com o extrato vegetal de tabebuia, em todas as concentrações.

 


Palavras-chave


Controle biológico; entomopatogênico; compatibilidade.