Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
POTENCIAL ANTIFÚNGICO DE EXTRATOS DO RESÍDUO DA UVA SYRAH E FOLHAS DA Moringa oleifera SOB DIFERENTES NÍVEIS E COMBINAÇÕES FRENTE A LEVEDURAS DELETÉRIAS DA SILAGEM DA CANA-DE-AÇÚCAR
Alex Domigos da Silva, José Gledyson da Silva, Mário Adriano Ávila Queiroz, Antonio Bruno Rodrigues Pontes, Roberto Araújo Santana Junior

Última alteração: 2019-11-08

Resumo


Introdução: São escassos trabalhos sobre extratos de subproduto de vinificação e da espécie Moringa oleífera, em associação, como alternativa para prover modificações no processo de fermentação de silagens de cana-de-açúcar, já que sua fermentação produz considerável concentração de etanol, levando a uma significativa perda do valor nutritivo. Objetivos: Produzir e avaliar extratos acidificado (EAc) e etanólico (EEt) do bagaço da uva Syrah e das folhas da moringa sob diferentes níveis e combinações, verificando seu potencial antifúngico frente a leveduras deletérias da silagem de cana. Métodos: As folhas da moringa foram coletadas na UNEB, JuazeiroBA e o bagaço de uva na vinícola TerraNova, Casa Nova-BA. Foram secas a 40ºC, moídas e maceradas com etanol 92,8 INPM para obtenção do EEt e; etanol, água destilada e ácido acético (70:30:1) para ter-se o EAc. Os extrativos foram concentradas em rotavapor sob pressão a 40°C, obtendo-se 4 extratos: o EEt (1) e EAc de moringa (2), e; o EEt (3) e EAc de bagaço de uva (4). A seguir, montou-se os tratamentos: E1 = 0/100% (EEt.); E2 = 33/67% (EEt); E3 = 67/33% (EEt); E4 = 100/0%, (EEt); E5 = 0/100% (EAc); E6 = 33/67% (EAc); E7 = 67/33% (EAc); E8 = 100/0%, (EAc) e, avaliou-se a atividade antifúngica (susceptibilidade por Disco-difusão) e a concentração inibitória mínima (CIM) das combinações e níveis estabelecidos dos extratos em duas leveduras de silagem de cana (Pichia deserticola e Saccharomyces cerevisiae). Resultados: A extração etanólica mostrou-se mais eficiente, quantitativamente,para a moringa, já para a uva, foi o acidificado. Observou-se, então, os rendimentos (base na matéria natural) de 6,49; 4,55; 3,05 e 3,60% para o EEt da moringa e EAc, EEt do bagaço de uva e seu EAc, respectivamente. No teste de Discodifusão em ágar sabouraud dextrose, nas concentrações de 2 µg/µL; 10 µg/µL e 50 µg/µL, dos extratos combinados, sobre as leveduras, não se verificou a formação de halos de inibição durante o período de 48 horas de incubação. Na CIM, após 48 horas de incubação, observou-se crescimento de leveduras nos poços das diferentes diluições (12,5 a 0,098 µg/µL). Conclusões: O extrato etanólico de moringa apresenta melhor rendimento em relação aos extratos obtidos. Em nenhum nível, ou combinação, os extratos estudados foram eficientes para inibir leveduras de silagens de cana.

Palavras-chave


concentração inibitória, conservação de forragem, leveduras, Saccharum officinarum