Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
FEIRA DE CIÊNCIAS ALICERÇADA NA INTERDISCIPLINARIDADE, UM INSTRUMENTO FORMATIVO DO PROGRAMA RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA.
Jasson de Oliveira Ferreira, Ana Carla Nascimento Reis Silva, Dayane Silva Gomes, Erick Vieira Félix, Erivânia Vieira Félix, Paulino Jose da Silva Neto, Rayane Ferreira da Silva

Última alteração: 2019-11-19

Resumo


O Projeto Institucional “Residência Pedagógica: uma imersão teórico-prática na formação de professores”, proposto pela Universidade Federal do Vale do São Francisco – UNIVASF, orienta a realização de atividades formativas de forma que a escola-campo se torne espaço de vivência efetiva de docência para os licenciados participantes do programa e de aprendizagem para estudantes das escolas. Dessa forma, os residentes que atuam no Colégio Municipal Dr. Rômulo Galvão, no distrito de Poços, município de Campo Formoso, Bahia, puderam articular conhecimentos de formação do curso de licenciatura, conteúdos mediados na educação básica e os saberes docentes constituídos, provenientes de experiências na escola, em especial de ensino calcado na interdisciplinaridade, tão discutido nos encontros de formação do programa, com a docente orientadora. Dentro das linhas de ações metodológicas, a orientadora do núcleo 6886 do subprojeto ciências do programa institucional sugere a realização de atividades diversificadas, tais como feiras de ciências, a partir da formulação de planos de intervenção mediante sequências didáticas interdisciplinares, de modo a favorecer aprendizagens a residentes e estudantes escolares. Assim, por meio da realização de feira de ciência, foram divulgados conhecimentos relacionados a área de ensino de ciências e atividades realizadas por residentes junto a estudantes da escola: 1) elaboração de material; 2) planejamento e produção de oficinas pedagógicas; 3) gincana científica; 4) apresentação didática de plano de aula pelos residentes; 5) Teatro científico; 6) aulas de campo; 7) visitas guiadas; 8) produções de cartazes, maquetes, jogos e painéis; 9) leituras compartilhadas; 10) exibição de vídeos; 11) aulas expositivas com slides; 12) exposição de fotografias e gravuras; 13) minicursos e 14) realização de experimentos. A da feira de ciências foi realizada dia 27 de setembro de 2019, em salas de aula do mencionado colégio. Como resultados da feira, observamos a aprendizagem dos estudantes das escolas, que foram expositores, que demonstraram os conhecimentos construídos, além da divulgação sobre os seguintes temas: Lixo e Reciclagem, Bioma Caatinga, Sistemas do Corpo Humano, A Química no Cotidiano, Invertebrados, Grandes Cientistas Brasileiros e Sistemas de tratamento de água e esgoto. Essas exposições foram realizadas por grupos de quatro a sete alunos, sendo que, apesar da timidez e desinteresse por parte de alguns, a maioria demonstrou interesse e muita empolgação em todos os instantes da feira, desde a organização até o momento das exposições. Também, observou-se aprendizagem dos residentes envolvidos, que se mostraram motivados com o envolvimento dos estudantes. Vale ressaltar que a aprendizagem foi uma constante, perpassando por todo processo, desde os estudos e atividades realizadas até a culminância dos conhecimentos na feira. Dessa forma, é preciso levar em conta a necessidade da realização de feiras de ciências a partir da formulação de planos de intervenção mediante sequências didáticas interdisciplinares, de forma a proporcionar situações em que os alunos sejam verdadeiros protagonistas no que se refere ao seu processo de ensino-aprendizagem e além da formação de professores de ciências.

 


Palavras-chave


Feira de Ciências; Interdisciplinaridade; Residência pedagógica.