Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
CARACTERIZAÇÃO CLÍNICA E LABORATORIAL DE CRIANÇAS COM LEISHMANIOSE VISCERAL ATENDIDAS EM HOSPITAL DE REFERÊNCIA NO MUNICÍPIO DE PETROLINA/PE
Natiécia Gomes França, Anaisa Gomes Ramos Soares, Juliana de Sales Landim, Rodrigo Feliciano do Carmo

Última alteração: 2019-11-07

Resumo


A Leishmaniose Visceral (LV) é um importante problema de saúde pública em todo o mundo, em especial em populações carentes. No Brasil é causada pelo protozoário Leishmania infantum e é considerada uma doença negligenciada devido ao seu alto índice de morbimortalidade, em especial em crianças. Petrolina, no interior de Pernambuco, é zona endêmica para esta doença e existem poucos trabalhos nesta região que estudem os aspectos clínicos e laboratoriais de crianças afetadas por esta infecção. O presente trabalho tem como objetivo caracterizar os aspectos clínicos e laboratoriais da leishmaniose visceral em crianças atendidas em um Hospital de Referência no interior de Pernambuco. É um estudo retrospectivo de uma coorte de crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade admitidos para tratamento de LV entre 2015 e 2018 no Hospital Dom Malan/IMIP em Petrolina-PE, sendo os dados obtidos através da análise de prontuários eletrônicos, entretanto só foram incluídos no estudo aqueles que obtiveram resultado positivo para LV no teste rápido (rK39) e/ou Imunofluorescência Indireta (IFI). Foram confirmados 50 pacientes com LV no período de estudo, obtendo-se uma média de 12,5 casos novos por ano, sendo 56% do sexo feminino e 44% do sexo masculino. As principais manifestações clínicas foram esplenomegalia (100%), febre (98%) e hepatomegalia (92%). No que tange aos aspectos laboratoriais, têm-se principalmente a pancitopenia, onde 48 (96%) dos pacientes demonstraram a presença de anemia e 45 (90%) dos pacientes apresentaram leucopenia. Em relação ao regime de tratamento, utilizou-se principalmente o Glucantime (antimoniato de meglumina) em 80% dos casos. Neste contexto endêmico da LV, torna-se necessário o fortalecimento das políticas públicas em saúde para a comunidade. Os resultados deste estudo fornecerão subsídios para o desenho de novas estratégias no combate à doença e diminuição da mortalidade em crianças com LV na região. Além disso, a disponibilização de conhecimentos acerca do assunto servirá para nortear o desenvolvimento de novos estudos posteriores para melhor aprimoramento.

Palavras-chave


crianças; Leishmania infantum; leishmaniose visceral; LV