Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
Estudo das fases hexânicas e clorofórmica de Raphiodon echinus (Ness& Mart.) Schauer (Lamiaceae)
Matheus Gabriel de Freitas Nascimento, Gabriela Lemos de Azevedo Maia

Última alteração: 2019-10-08

Resumo


Os estudos etnodirigidos buscam novas substâncias naturais com ação terapêutica a partir do conhecimento tradicional e demonstra ser uma nova ferramenta poderosa para nortear as pesquisas da área. O vale do São Francisco está inserido na Caatinga que possui características ímpares devido à escassez de chuva e as altas temperaturas. Tendo como base o conhecimento popular como forma de obter informações acerca da utilização de plantas medicinais, é que pesquisadores, estudantes e demais interessados podem realizar estudos, a fim de identificar novas substâncias para um futuro uso terapêuticas. Com isso, uma espécie comum da região foi escolhida, Raphiodon echinus, com o objetivo de cooperar para o conhecimento científico das espécies utilizadas pela população do Vale do São Francisco e isolar, identificar e elucidar os constituintes químicos de sua fases hexânica e clorofórmica. Para atingir os objetivos o material botânico foi coletado, identificado, seco e pulverizado. Logo após foi extraído com etanol a 95 %. O extrato etanólico bruto obtido após a evaporação do solvente em rota evaporador foi submetido à partição líquido/líquido com hexano e clorofórmio. A fase hexânica foi analisada por CG-EM utilizando um cromatógrafo a gás interfaciado a um espectrômetro de massas Shimadzu® (QP–2010). A fase clorofórmica foi submetida a cromatografia em coluna usando sílica gel como adsorvente.A análise por CG-EM revelou a presença de 87 picos, sendo destes 83 identificados, correspondendo a 95,4% dos compostos químicos da amostra. Os três componentes majoritários são: Esqualeno (18,35%), 3,7,11,15-tetrametil-2- Hexadecen-1-ol (6,99%) e Intermedeol (6,21%). A fase clorofórmica após cromatografia em coluna apresentou substâncias que pelo aspecto da cromatografia em camada delgada analítica aparenta pureza, sendo estas encaminhadas para analise espectral. Esse estudo possibilitou a identificação de 83 componentes presentes na fase hexânica de Raphiodon echinus (Ness& Mart.) Schauer contribuindo para o conhecimento científico das espécies utilizadas pela população do Vale do São Francisco. Com esses resultados podemos posteriormente avaliar as possíveis ações farmacológicas desses componentes identificados e contribuir para o desenvolvimento de novos fármacos.


Palavras-chave


Plantas medicinais; Raphiodon echinus, Fitoquímica; Estudos etnodirigidos; Produtos naturais