Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), SCIENTEX-2019

Tamanho da fonte: 
UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC) NA EDUCAÇÃO EM SAÚDE: USO DAS REDES SOCIAIS PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE.
MARIANA ANDRADE LIMA, SYBELLE Christianne BATISTA DE LACERDA PEDROSA

Última alteração: 2019-11-18

Resumo


 

Introdução: O uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) para divulgação de informações relacionadas ao bem-estar do indivíduo tem se intensificado nos últimos anos. As redes sociais fazem parte destas tecnologias e se destacam pela praticidade, gratuidade e principalmente na abrangência do público. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), realizada em 2017 sobre as TIC, o acesso à internet está presente em 74,9% dos domicílios brasileiros, representando 52 milhões de residências. Nesse sentido, as redes sociais tornam-se espaços que podem ser organizados para o aprendizado coletivo devido à troca de vivências e compartilhamento de conhecimento, permitindo ampliar o acesso à informação por meio da integração de múltiplas mídias, linguagens e recursos. Desse modo, possibilitando o desenvolvimento de um processo educacional interativo (PINTO et al., 2017). Objetivos: O presente trabalho propõe utilizar as TIC por meio das mídias sociais para a promoção da saúde da comunidade e no processo de ensino-aprendizagem dos alunos de graduação e ensino médio. Metodologia: É realizada semanalmente a busca de artigos científicos indexados nas bases de dados Scielo, Lilacs, PubMed e Science Direct abordando as interações medicamentosas mais comuns na prática clínica. Além disso, para o auxílio da pesquisa são utilizadas as plataformas eletrônicas: Drug.com, Micromedex e Medscape. Em seguida, ocorre a redação de textos fundamentados nos artigos selecionados para serem publicados nas redes sociais (instagram e facebook). Entre as informações divulgadas estão: os riscos e benefícios de interações entre fármacos, plantas medicinais, alimentos, álcool e cigarro. Além da elaboração dos textos, é realizado a produção de vídeos semanais, material midiático, cartazes e manutenção das páginas. Resultados: Os resultados obtidos na primeira etapa do projeto incluem mais de 670 pessoas sendo assistidas por informações relevantes sobre o uso de medicamentos, superando a quantidade inicial prevista. Ademais, as páginas mantem um número constante de visualizações em cada publicação, em média 406 visualizações por publicação. Com isso, demonstrando o alcance e interesse na utilização desta tecnologia para promoção da saúde. A segunda parte do trabalho está em desenvolvimento, aguardando a aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa para prosseguimento. Considerações Finais: A utilização das TIC para promoção da saúde se mostrou promissora de acordo com trabalho de Fernandes, Calado e Araújo (2018) em que demostraram o potencial de uma comunidade online na adesão e suporte no tratamento de pacientes com diabetes. Nesta perspectiva, o presente projeto destaca-se por incorporar o estudo das interações medicamentosas a estas tecnologias potencializando o processo de ensino-aprendizagem de alunos de graduação, bem como proporcionando informações sobre saúde para a melhoria da qualidade de vida de usuários das mídias sociais. Logo, o trabalho integra o ensino, a extensão e a pesquisa e, deste modo, promove a qualificação da formação profissional de discentes sobre o tema em foco. Dessa forma, contribuindo para o desenvolvimento do pensamento crítico e colaborativo na promoção da saúde da população que se beneficia utilizando as TIC.

 


Palavras-chave


Educação em Saúde; Rede social; TIC.