Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), I Fórum de Terapia Nutricional do Vale do São Francisco

Tamanho da fonte: 
A IMPORTANCIA DA UTILIZAÇÃO DE IMUNOMODULADORES NO PRÉ E PÓS – OPERATÓRIO – UMA REVISÃO INTEGRATIVA
Carina Carvalho Novaes, Maria Carolina Barros Costa, Samylla Duanne Alves, Fernando Romualdo da Silva Neto, Izabelle Silva de Araujo, Helânia Virgínia Dantas, Ryane Ferreira da Silva Nascimento, Maiane Alves de Macedo, Marcela Henriques

Última alteração: 2018-10-12

Resumo


Introdução: A função imunológica é normalmente suprimida por procedimentos cirúrgicos de grande porte, levando ao aumento da morbidade, mortalidade e duração da permanência hospitalar. A desnutrição também provoca alterações no sistema imune. As fórmulas imunomoduladoras podem modular a resposta inflamatória, melhorar a resposta imunológica e favorecer a cicatrização. Objetivo: Este trabalho consistiu em avaliar os efeitos da utilização de imunomuladores no pré e pós-operatório. Metodologia: Trata-se de uma revisão integrativa de literatura, com análise de artigos disponibilizados no banco de dados do Google acadêmico, BVS, Scielo, nos últimos cinco anos, em inglês e português. Resultados e Discussão: A aplicação da prescrição da nutrição imunomoduladora na maioria dos estudos utilizou-se fórmula nutricional contendo arginina, ácidos graxos ômega-3, glutamina e nucleotídeos devido suas propriedades de aumento da função do sistema imunológico e na recuperação após a cirurgia. A terapia nutricional com imunomoduladores no pré operatório é indicada por um período de 7 a 14 dias para pacientes com risco nutricional grave, para desnutridos submetidos ao tratamento de câncer  e de 5 a 7 dias para cirurgias para ressecção de câncer, mesmo sem risco nutricional. Um estudo com ômega 3 em cirurgias gastrointestinais demonstrou que o consumo deste imunomodulador resultou em níveis mais baixos de proteína C-reativa, interleucina-6 e níveis mais altos de albumina, além disso, são eficazes na melhora da função imunológica dos pacientes submetidos à cirurgias. Suplementos orais enriquecidos com imunomoduladores, na quantidade de 500 a 1000 kcal/dia, são capazes de atenuar a resposta inflamatória e modular a resposta imunológica, sendo possível ainda reduzir em até 50% a taxa de complicações pós-operatórias e também o tempo de estadia hospitalar. Conclusão: Os resultados encontrados são favoráveis ao uso de imunomoduladores no pré e pós cirúrgico sugerindo a necessidade de criação de protocolos mais específicos com recomendações de tempo de uso e ingestão.


Palavras-chave


Imunomoduladores;Terapêutica; Procedimentos Cirúrgicos Operatórios

Texto completo: PDF