Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), III Congrefor & III Simpósio de Residências em Saúde - ISBN 978-85-60382-68-2

Tamanho da fonte: 
O PROGRAMA DE HUMANIZAÇÃO DO PRÉ-NATAL E SUA IMPLEMENTAÇÃO
Emanuely Mabrine Ferreira Costa, Tâmara Silva de Lucena, Midiâ Gomes da Silva Rêgo, Nêmora Lígia Sousa Santana, Andréa Farias Patriota, Laís Caroline Martins Farias, Joice Fonseca Costa, Khesia Kelly Cardoso Matos

Última alteração: 2015-11-05

Resumo


Introdução: Tendo em vista a necessidade de uma assistência humanizada e qualificada, o Ministério da Saúde instituiu o Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento - PHPN (BRASIL, 2000). O acompanhamento do pré-natal na atenção básica deve ser multiprofissional, enfatizando a assistência médica e de enfermagem. A lei do Exercício de enfermagem, regulamentada pelo Decreto Nº 94.406/87, garante a realização do pré-natal de baixo risco pela (o) enfermeira (o). Portanto, é dever do profissional de enfermagem prestar uma assistência pré-natal qualificada e humanizada em parceria com o (a) médico (a). O objetivo principal do programa é assegurar a melhoria do acesso, da cobertura e da qualidade do acompanhamento pré-natal, da assistência ao parto e puerpério às gestantes e ao recém-nascido, respeitando os direitos à cidadania. Objetivo: relatar como está ocorrendo a implementação do Programa de Humanização do Pré-natal e Nascimento - PHPN e qual o papel da enfermagem neste processo. Métodos: trata-se de uma revisão sistemática sobre a humanização do pré-natal e o papel da enfermagem. A busca foi realizada no SciELO, utilizando os descritores: “Humanização do Pré-natal” e “Enfermagem e Humanização”. Os critérios de inclusão foram estudos publicados entre os anos de 2008 e 2014, que estejam relacionados com a humanização do pré-natal e a enfermagem, escrito na língua portuguesa. Foram encontrados 152 estudos com os descritores acima citados. Após a leitura dos resumos apenas 10 estudos foram selecionados para fazer parte da amostra. Resultados: A implementação do PHPN ocorreu em todo o país, porém de forma diferente em cada estado e município. Desde sua implementação até os dias atuais, dados referentes à cobertura do PNPN apresentam variações de acordo com as regiões do país, a região Nordeste apresenta baixos índices de adequação ao programa. Também se observou que o sisprenatal não tem se mostrado um parâmetro seguro de avaliação sobre o acompanhamento da gestação, possivelmente pelo não preenchimento correto do mesmo. Conclusão: O Programa de Humanização do Pré-natal e nascimento encontra-se implementado em todas as regiões do Brasil no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS, porém, nota-se que os seus critérios ainda não estão sendo seguidos em sua totalidade. Percebeu-se que apesar dos incentivos financeiros que o programa traz para os municípios, estimulando a captação precoce e a realização de todos os exames complementares, não se observa a melhoria na qualidade e acesso dos mesmos. Apenas a captação precoce, o número de consultas de pré-natal realizadas e o acesso aos exames necessários não garante uma boa assistência, de maneira que, são necessários outros estudos que visem avaliar a qualidade da assistência pré-natal.

Palavras-chave


Cuidado Pré-natal; Humanização; Enfermagem.

Texto completo: PDF