Portal de Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), 6º Fórum de Mobilização Antimanicomial/3ª Mostra de Atenção Psicossocial - ISBN 978-85-60382-69-9

Tamanho da fonte: 
Cine CAPS AD: O Cinema como recurso de desistitucionalização nas estratégias de cuidado com toxicômanos
Geovan Cardoso dos Santos, Marcelo Oliveira, Marianna Almeida, Nayara Trocoli

Última alteração: 2016-05-24

Resumo


No âmbito da Reforma Psiquiátrica as estratégias de desinstitucionalização são constituídas por iniciativas que visam a garantir às pessoas com sofrimento mental e com necessidades decorrentes do uso de álcool e outras drogas o cuidado integral por meio de estratégias substitutivas, na perspectiva da garantia de direitos com a promoção de autonomia e o exercício de cidadania, buscando sua progressiva inclusão social (ROTELLI, 1990). Considerando o acima exposto, o presente trabalho tem como objetivo relatar experiência da utilização do recurso audiovisual como estratégia terapêutica, comunicacional e de desinstitucionalização. Processo de experiência de introdução de um espaço de cinema no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas – CAPS AD do município de Petrolina-PE, denominado posteriormente de CineCAPS. O CineCAPS até junho de 2015 era exibido no próprio espaço do serviço, apenas com usuários que iam naquele dia da semana ao serviço. Porém, após avaliação da atividade pela equipe – a partir do mês de julho de 2015 – o CineCAPS foi ampliado, sendo aberto para qualquer usuário e familiar, superando os muros materiais e simbólicos que permeiam os serviços especializados em saúde mental, se fez uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Nacional SENAC, do município de Petrolina, para utilização do espaço especialmente projetado para utilização de recursos audiovisuais para grandes públicos. Percebeu-se a partir dessa abertura a realização de uma prática concreta de desinstitucionalização que se formou de modo independente e natural. Desse modo, considerando esses dispositivos e a necessidade de descontinuar a vida institucional, criando mecanismos que fujam a cronicidade e cristalização institucional (TREVISAN, 2007). Com isso, no final de cada apresentação é realizada uma reflexão e debate a respeito dos conteúdos emergidos a partir do filme, já que esse se configura como uma ferramenta valiosa de identificação e comunicação (TREVISAN, 2007). A periodicidade do CINECAPS é mensal e os títulos são escolhidos considerando a realidade concreta das pessoas envolvidas e os conteúdos subjetivos trazidos pelo grupo ao longo do mês. Percebe-se a participação de diferentes atores no debate que se posicionam a partir de suas experiências e história de vida. Além de um espaço terapêutico, é possível notar que o CINECAPS tornou-se um espaço de inclusão social e promoção de cidadania, cultura e saúde. As reflexões tornam-se mais próximas e visíveis devido a dimensão concreta apresentada. Observa-se ainda a introdução da diferença no âmbito social e cultura, ao possibilitar o estranhamento e questionamento sobre estigmas e mistificações reproduzidos a respeito das pessoas que fazem uso abusivo de substâncias psicoativas.


Palavras-chave


Desistitucionalização; CAPS AD; Estratégias de Cuidado